Conectar
Boa noite
Sinceramente eu ainda não entendi qual é a do Olavo de Carvalho, mas estranho muito ele, que até pouco tempo era execrado pela imprensa, agora não sai das primeiras páginas dos jornais.
Virou fonte primária.
Claudio Cesar Custodio Junior: Isso é verdade. Tenho elogiado Olavo de Carvalho e também o tenho criticado. Essas atitudes realmente não estão legais. Vejo pontos positivos e negativos em tudo. Mas ele tem exagerado na sua forma de se expressar.
dkfurious: Nunca escondi que tenho divergências do Olavo de Carvalho. Uma delas é a maneira dêle transmitir suas mensagens, mas baseado justamente nesse aspecto creio que êle está tentando dar uma "sacudida" no Bolsonaro. Afinal de contas, o que está acontecendo, por que essa inércia tôda do Bolsonaro ? Ainda está em recuperação das cirurgias ? Está com mêdo de alguma coisa ? Foi ameaçado pelos que o cercam ? Ainda estou esperando ver de volta o Bolsonaro destemido e contundente que nunca deixou de enfrentar os desafetos, principalmente agora que como Presidente ele tem instrumentos legais poderosos à sua disposição. Quanto ao Mourão, as críticas me parecem obviamente merecidas. Esse claramente deseja o poder. Está sempre afagando a mídia canalha e desmentindo o Governo Bolsonaro. Age como opositor o tempo todo e na minha visão atua para que o Governo fracasse. Demonstra exatamente o contrário do que se apregoa: não é inteligente. Tivemos figuras nos bastidores de vários governos que eram conhecidas como "eminencias pardas". Esses sim, para o bem e para o mal, eram inteligentes e poderosos influenciadores nos governos em que atuaram. Quando olho para Mourão invariavelmente vejo a figura de proto-ditadores só esperando a chance de se alçarem ao poder. Que eu esteja enganado...
Roberto: Eu vejo no Olavo uma cobrança forte nas atitudes conservadoras de todos os que compõem o governo. Algo muito difícil. Mas vejo nessa atitude um permanente alerta para JB não baixar a guarda porque a esquerda está sempre enviando um cavalo de troia. Nesse aspecto é válido. Mas tem horas que ele carrega na tinta sim. Quanto a inércia, não concordo. O governo já tomou mais providências que os governos do Lula e Dilma juntos. Quanto ao Judiciário cabe ao Senado cumprir o seu papel. Foi para isso que o Davi assumiu.
Bom dia amigos,

O Direita sem Censura não está na Lista do Estadão #EstadaoFaltou Eu
Roberto: Não está não.
dkfurious: Vamos processá-los pela omissão 😁
Rosa Muruci: hahahahahah pois é,que vexame o nosso,putz!
Boa noite meus caros,

Atenção, o STF ameaça abrir investigação contra os brasileiros que defendem o País da corrupção.
dkfurious: Querem implantar a censura através da intimidação. Não vão se dar bem.
cristina: Assim espero DK!
cristina: Terão que processar pelo menos 50 milhões !!!!!!!
Boa noite

Rever esta crítica à imprensa brasileira, feita por um dos figurões do jornalismo da Globo, que foi o poderoso porta-voz do Governo Lula, é emblemático.
Este vídeo é de 2011. Nesta época, já existia Youtube, que chegou ao Brasil em 2005, e também o Facebook, que lá nos idos de 2004 assombrou o mundo como uma plataforma de fotos e diário virtual (blogs), desbancando o pioneiro Orkut. Na época deste "vídeo premonição"o WhatsApp, embora ativo no Brasil desde 2009, só se tornaria ferramenta de massa em 2012 e o Twitter em Português também só se consolidou em 2012.
Ainda bem que a Esquerda dormiu de touca e ignorou a mensagem profética do jornalista. Mas o capitão captou como poucos para onde iria a comunicação de massa. Estrategista, soube usar esta ferramenta como ninguém, soltando a voz Direita. Vale a pena ver, mesmo sendo indigesto. Bendita internet!

https://www.youtube.com/watch?v=wlyC3vYLoEY
dkfurious: Boa lembrança, Cristina. Apesar da mensagem profética e mais atual do que se possa imaginar, esse terrorista e assaltante de bancos envolvido inclusive na sequestro do Embaixador americano Charles Elbrick, na verdade tinha por objetivo criar o "controle social da mídia". Para tanto o pt passou a contratar descaradamente empresas e ativistas em redes sociais, pagos com o dinheiro público. Veja que no final ele distorce à favor do partido e desse subjetivo controle, a interpretação do que está na Constituição, já pavimentando os primeiros passos que se dariam num futuro que foi bem próximo. Acho que não vingou efetivamente como queriam porque a mídia reagiu e como naquela ocasião os ativistas eram em número reduzido exatamente por serem pagos, a coisa não vingou como planejado. Ao contrário de hoje em dia, sem deixar de considerar o uso mais intenso das redes sociais, a imprensa está encurralada justamente por serem milhões de pessoas espontaneamente combatendo as mentiras e distorções e para piorar para êles, de graça. E com outro detalhe, nós não queremos o controle social da mídia, queremos que a verdade prevaleça. Objetivo portanto totalmente diverso do que o Franklin tinha em mente.
cristina: Eu sei disso DK. Não estou comparando o discurso dele de quase uma década atrás com o que vivemos hoje. O ponto alto deste vídeo é quando ele reconhece que a imprensa TEM LADO sim e ATACA o governo, quando seus interesses não são atendidos. Isso dito por um um intelectual da esquerda tem muito significado, até porque, como você bem lembra, o sonho dos socialistas é ter uma Imprensa de Estado. Está no ideário marxista o controle social da mídia. Estranhamente porém, os "libertários", os "fabianos", "a imprensa isenta" e tantas outras hostes da "New Left" defendem isso, não abertamente, mas de forma velada, quando são desmascarados. Perder a credibilidade é o túmulo para o jornalismo e os barões da imprensa sabem disso.
dkfurious: Perfeito, Cristina.
Boa tarde amigos

Começamos mais uma semana impactados pela chuva inclemente, que alaga e mata na maior metrópole do país, São Paulo, cujo prefeito do PSDB está ausente; e com a extrema imprensa em polvorosa com mais um tuíte do Presidente Bolsonaro.
Sobre o caos que paralisou a cidade, a ação das autoridades incompetentes e irresponsáveis é culpar “o volume anormal de chuva”, ou seja, temos que enquadrar e cobrar os prejuízos de São Pedro! Em comparação às milhares de pessoas que tiveram suas casas destruídas, invadidas pela enxurrada, que tiveram carros danificados por queda de árvores, e pior, que perderam amigos e parentes por causa do temporal deste fim de semana, meu dano foi ínfimo. Fiquei sem luz e tive a persiana externa da minha janela destruída pela força do vento de sábado. Prejuízo? 100 reais pelo conserto e a impossibilidade de trabalhar. Só hoje á tarde a energia foi restabelecida.
Mas, meu smartphone nunca desliga! E foi por ele que fiquei acompanhando o alvoroço da imprensa por causa de um “furo” do site Terça Livre, que simplesmente publicou a gravação bisonha de uma jornalista do Estadão, jornal centenário que parece ter perdido a linha e o rumo editorial. Em péssimo inglês, a jovem, filha de um conhecido jornalista policial de O Globo, emitiu opinião descabida sobre as investigações do Coaf, as quais teve acesso, com intuito de atingir o presidente da República. A tal gravação foi exposta pelo jornalista francês, seu interlocutor, que segundo informações do próprio, ficou espantado com a atitude antiprofissional da moça e decidiu expor a conversa publicamente. Deu no que deu. A #estadaomentiu viralizou no Twitter!
Os “coleguinhas” da imprensa lacradora “ninguém solta a mão de ninguém” saíram furiosos em defesa da jovem. Muitos perderam a compostura e chegaram a xingar e bater boca com seguidores nas redes sociais. Uma baixaria só. A OAB e Abraji (sei lá o que é isso), divulgaram nota em defesa da jornalista, acusando Bolsonaro de “intimidar a imprensa”.
A queixa deles é a mesma: “isso é fake News dos sites de Direita”, “das “milícias digitais”, “deturparam as palavras da jornalista”, “atacaram-na porque ela é mulher” blá blá blá, mas ninguém ousou a dizer que a gravação não existe, pois seria passar atestado. O áudio está disponível para quem quiser se dar o trabalho de ouvir as baboseiras da jornalista engajada. Ponto.
O Estadão fez um papel lamentável de desqualificar a gravação e, por conseguinte, sua própria profissional que conversou sim, a troco do quê não sabemos ainda, com um “blogueiro estrangeiro”, cuja fonte, segundo a extrema imprensa, não tem nenhuma credibilidade. Tudo isso é patético e só mostra que a mídia acusou o golpe e engoliu o seu próprio veneno.
O curioso é que olhando as páginas da imprensa na Internet, vemos que alguns abordaram o assunto, mas sem tanta ênfase, com exceção claro do Estadão, que se sentiu “ofendido” com a reação pública. A Veja, que aliás está mais comedida depois do Carnaval, apenas citou o fato; a Folha Uol também e O Globo, por razões óbvias, embarcou na narrativa do vitimismo crônico do Estadão. É... a semana pós-Carnaval, pós-águas de março e pós-verdade promete!

Abs!
Roberto: Você e Dk escrevem excelentes matérias que engrandecem esta rede. Parabéns.
cristina: Obrigado Roberto. Todos nós estamos sempre vigilantes! Avante.
Bom dia amigos,

Continuo intrigada com a falta de espaço na "imprensa profissional" sobre o escândalo Paulo Preto e seu envolvimento com a quadrilha tucana. Preto é um arquivo vivo, e a revelação de suas ligações com o motorista e o sapão são apenas a ponta do iceberg do conluio do PSDB para dilapidar os cofres públicos, que vinha sendo abafado pela mídia há muito tempo.
Nos posts do José Nêumane no Youtube, algumas dessas tramoias etão sendo reveladas a conta-gotas, com muito cuidado, claro. Mas, causa estranheza o sumiço de FHC na mídia, que tanto gosta de ouvi-lo como "voz da coerência democrática". Estranho também é a posição dos parlamentares tucanos que agora quererem se apressar para discutir a Reforma da Previdência. Até então, sempre na surdina, faziam vista grossa, deixando para seus aliados vermelhos a tarefa de detonar publicamente a proposta do Governo.
Já rolam boatos de ameças a Paulo Preto, que teme ir pro saco preto antes de abrir a boca contra o tucanato. A PF precisa ficar atenta. Sempre achei que aquela volúpia da mídia em divulgar as ladroagens do PT era um jogo bem articulado entre PT e PSDB, de queimar algumas peças para preservar o todo. Agora isso parece claro, pois não vejo ninguém do PT ou da esquerda radical, defendendo a prisão de Paulo Preto e atacando suas ligações poderosas e perigosas. Afinal, não eram os tucanos os coxinhas de direita? Não era uma perseguição implacável da Lava Jato apenas contra Lula? Porque o PT não está barulhento contra "seus velhos inimigos históricos"? Tem muito figurão da mídia sem dormir. Talvez isso explique a sonolência em relação ao caso Paulo Preto. Realmente, o Brasil dá sono.

Bom fim de semana
dkfurious: Ótimas considerações.
Boa tarde amigos,

Encerro a semana de Carnaval, falando sobre o vídeo suruba, divulgado pelo Presidente Bolsonaro, que causou furor nas redes sociais, com milhares de visualizações. O que eu acho do conteúdo? Grotesco, sobretudo para os que estavam filmando em plena luz do dia. Escandalizou? A mim não, pois é sabido que o Carnaval sempre foi uma festa propícia a todo tipo de transgressão e esculacho. Diversão? Sim, para quem curte deve ser ótimo. Hoje, eu não me identifico mais com essa festa. Gostava dos bailinhos da minha época de infância, quando tinha confete, serpentina e matinê. Mas o mundo mudou e não há túnel do tempo.
Dito isso, sinceramente, foi uma gafe o Presidente postar o tal vídeo em sua rede social, que é seguida por milhões de pessoas, inclusive crianças. Ainda que a intenção legítima tenha sido mostrar o quanto a degradação e a aculturação globalista estão pervertendo nossa cultura e nossos valores, o fato é que a cena é repugnante e não deveria ser compartilhada dessa forma. O efeito foi desastroso, pois os comentários contra prevaleceram e o tal vídeo ganhou dimensão desnecessária.
Eu reprovo a atitude do Bolsonaro, não por purismo, mas por entender que este tipo de conduta não condiz com a liturgia do cargo de Presidente. Eu votei nele por convicção. Passei meses vendo seus discursos e percebi que sua luta principal não é o liberalismo, mas a contrarrevolução dos costumes. É uma luta justa? Do meu ponto de vista sim, pois o Brasil nunca será um País desenvolvido se seu povo não tiver o mínimo de civilidade. A barbárie só interessa aos que defendem a terra arrasada e o quanto pior melhor.
As escolas (principalmente as públicas) e as universidades (especialmente as federais) estão degradadas. Salas de aula mais parecem presídios ou mictórios de prostíbulos, de tão fedorentas, enfestadas de palavrões e pichações. O reflexo disso está na nossa juventude. Não é maioria, ainda, mas é uma parcela grande e barulhenta, bem organizada, que têm voz e eco nas esquerdas e na mídia complacente. Resultado: Qual foi o hit dos bloquinhos em todo país? “Hei Bolsonaro vai tomar.....”! Não vi nenhum espanto a esta provocação pérfida afinal, querendo ou não, Bolsonaro é o Presidente do Brasil e deve ser respeitado. Mas, ao ver o vídeo suruba nas redes sociais e a reação virulenta da chamada “opinião pública”, concluo, que infelizmente tudo se nivelou por baixo.
Bolsonaro teve coragem de enfrentar a guerra cultural. Quase pagou com a vida por confrontar o poderoso establishment. A maioria da sociedade só foi acordar e apoiá-lo quando percebeu que o Brasil não resistiria a mais quatro anos de esquerda. Venezuela está aqui ao lado para nos lembrar sempre do perigo. Todavia, agora investido do cargo de dirigente máximo da Nação, Jair Bolsonaro precisa controlar seu ímpeto.
Não se trata de ser hipócrita ou colocar máscara para agradar minorias barulhentas, mas de ser autêntico e altivo. Eu, em seu lugar, faria uma live exaltando a importância turística e cultural do Carnaval, e ao mesmo tempo, reprovando atitudes radicais e imorais de grupelhos que se apropriaram da festa para lacração. Reproduzir um vídeo escatológico entre homossexuais só reforça a pecha de homofóbico. Elevou o delírio da galera do “Ele Não” e afastou a simpatia de pessoas, gays ou não, que não compactuam com libertinagem pública. Sou mulher, hétero e sou a favor das liberdades individuais. Porém, prática de sexo ou atos libidinosos em público, seja entre dois homens, entre duas mulheres ou entre um homem e uma mulher, são abjetas. Existem clubes, boates, motéis, enfim, quatro paredes para assegurar a privacidade dos amantes e o direito de realizarem todo tipo de sonho e fantasia. Não é preciso cuspir na cara de ninguém para se autoafirmar como também é dispensável reproduzir atos infames. Espero que passado a Semana de Momo, a serenidade volte ao Brasil. Já chega de disputas e de estresse!
cristina: Oi Roberto, obrigado. Confesso que pensei muito antes de escrever, mas estou convencida de que a melhor forma de combater o discurso hipócrita da esquerda é desmascarando a sua narrativa. Embora nos embrulhe o estômago ter que debater com gente sem argumentos, pior é nos nivelarmos a eles. O Planalto acabou de divulgar nota dizendo que a intenção não era criticar o Carnaval. Estou certa que não era. Mas o que importa no discurso não é o contexto, e sim, o conteúdo e a forma. Infelizmente. Abs.
Bom dia Carnaval amigos,

A tal "grande imprensa" continua fortemente engajada contra o governo legítimo, eleito pela maioria dos brasileiros que rejeitaram a bandalheira ideológica e a roubalheira desmedida, promovida pelos socialistas desde FHC, passando por Lula , Dilma e Temer. Apesar do vídeo do Paulo Okamoto - aquele do Instituto Lula, que tenta acalmar a militância diante do crematório, onde era realizado o velório do neto de 7 anos de Lula, dizendo que "nem todos poderiam participar da festa", os jornalistas profissionais insistem descaradamente em dar "ar solene' ao velório.
Mesmo com as fotos do presidiário rindo e cumprimentando seus fãs, como num comício, não se viu uma linha reprovando a atitude de Lula. Ao contrário, a Veja, que outrora chegou a ser comparada a "Times" brasileira, mergulhou numa mediocridade que dá nojo, ao estampar na manchete: "PT e grupos pró--Lula se alinharam por silêncio em velório do neto", quando as imagens que correm nas redes sociais mostraram exatamente o contrário. Foi uma festa.
Lamentável utilizarem o velório de uma criança de 7 anos, inocente sim, pois não teve culpa de nascer numa família de desordeiros, como desagravo e deboche à Justiça e ao País.
Uol e Estadão, por sua vez, logo tiraram das manchetes o "tal evento" do ar e passaram a divulgar a folia do Carnaval da lacração, que se estendeu desde blocos até aos decrépitos desfiles das Escolas de Samba, numa forma sutil de induzir que o povo está contra o governo. Carnaval sempre foi uma festa de crítica social, no entanto, nos anos nefastos do lulopetismo, não se viu tal fúria cívica na avenida. Isso mostra o quanto o marxismo cultural vem se apropriando das manifestações populares, com intuito de desmoralizar tudo que não faz parte da sua cartilha globalista. Enfim, segue o baile até Quarta de Cinzas. Espero que o Brasil que tem sede de justiça, quer desenvolvimento e trabalho, resista aos próximos carnavais.
cristina: Obrigado meninos!
Roberto: Gostei do meninos. Me fez sentir mais jovem ... rsrsrss
Boa tarde queridos

E saiu a primeira pesquisa da CNT/MDA sobre Governo Bolsonaro, após a avalanche de notícias distorcidas, fofocas plantadas, fake news abjetas e até o escandaloso "Bebianno gate". E qual foi o resultado? Mostrou que o desempenho pessoal de Jair Bolsonaro é aprovado por 57,5% dos entrevistados. A pesquisa também apontou que 38,9% dos brasileiros acham a gestão do governo ótima ou boa, 29% regular; 19% ruim ou péssimo; 13,1% não souberam responder.
Ou seja, o apoio popular da maioria continua.
É risível a forma como Folha Uol, Estadão, Veja, O Globo e demais veículos "interpretaram os números" da pesquisa ao sabor de suas visões egocêntricas e conjecturas vazias. A maioria dos jornais online já tinha suprimido a informação logo depois do meio dia, dando destaque à celeuma do ministro Velèz Rodrigues. Nem Venezuela ganha destaque mais, afinal, não houve a guerra tão desejada na surdina.
Tudo isso mostra mais uma vez a decadência do jornalismo profissional lacrador. Não influencia ninguém e ainda corre o risco de perder o pouco de credibilidade que lhe resta.
Avante B17! Deixa a cachorrada latir e siga em frente. É hora de enquadrar os boçais do PSL e dar uma "prensa" do Congresso para votar a Reforma da Previdência e o Pacote do Moro. Depois, claro, continuar a faxina da máquina pública. Até agora, céu de brigadeiro.
Rosa Muruci: ótimo,compartilhado no FB